PROJETO CURRÍCULO GLOBAL PARA A SUSTENTABILIDADE

Apresento abaixo o Projeto que participo pela Escola Politeia onde tentaremos nos próximos anos construir um currículo mais humano que leve em conta a sustentabilidade em suas varias vertentes.

Cecip- Centro de Criação de Imagem Popular-Brasil

www.cecip.org.br e União Européia apresentam….

PROJETO CURRICULO GLOBAL PARA A SUSTENTABILIDADE

Apoio – Secretaria de Estado da Educação de São Paulo/Secretaria Municipal de Educação de S. Paulo/ Colégio Bandeirantes/ Instituto Politeia/Instituto Paulo Freire/Fundação Roberto Marinho

1 – O QUE É DIMENSÃO GLOBAL

A ideia de que o Currículo, para ser significativo, deve ligar-se à realidade dos alunos, já é consenso entre os educadores brasileiros. No entanto, quando se pensa nessa realidade, a ênfase recai sobre sua dimensão local e poucas vezes ficam claros os vínculos entre o local e o global.

Essas duas dimensões são, hoje mais que nunca, indissociáveis. Ensinar para a compreensão exige possibilitar às crianças e jovens perceber a complexidade – tudo está ligado, tudo se entrelaça. Enchentes em S. Paulo, por exemplo, tem a ver não apenas com decisões político administrativas locais e hábitos individuais insustentáveis, mas com as equivocadas decisões econômicas e de consumo tomadas nos países mais industrializados do mundo, que resultaram nas atuais mudanças climáticas . A morte violenta em uma favela brasileira tem a ver com negócios de armas e drogas ligando diversos continentes. A destruição de uma área de cerrado liga-se à decisão de um país asiático ou europeu de comprar a nossa soja.

Por Dimensão Global entende-se tudo aquilo que nos conecta ao resto do mundo e nos permite perceber que, se as vidas dos homens e mulheres do planeta podem ser afetadas por eventos e processos que ocorrem a milhares de quilômetros de distância, micro decisões e micro ações locais afetam o macro em retorno.

Dimensão Global é a consciência que devemos ter de que todos os seres humanos pertencem à mesma família- a humana- e dependem de um mesmo ambiente ; que a diversidade de culturas , crenças, línguas , sotaques regionais e nacionais nos enriquece; que todos os países estão interconectados , são interdependentes e o que afeta a um, afeta a todos … Essa consciência é essencial para se garantir sustentabilidade à vida na Terra .

O incremento da consciência da Dimensão Global/planetária tornará possível , no futuro, criar uma real interdependência entre Norte-Sul do planeta , estimulando a compreensão das causas da pobreza e a modificação das regras comerciais globais que privilegiam os países ricos em detrimento dos pobres e destroem os recursos naturais

Essa Dimensão , que desejamos inserir no Currículo, perpassa 8 conceitos inter relacionados : Direitos Humanos, Justiça Social, Resolução de Conflitos, Diversidade, Interdependência, Sustentabilidade , Cidadania Global e Valores e Percepções. Esse ultimo conceito, ao contrário dos demais, não tem especificidade: ele está presente em todos os outros. Por meio desses 8 Conceitos a Dimensão Global pode ser compreendida.

Inserir a Dimensão Global e seus oito conceitos nos processos educativos é propor o uso dos efeitos positivos da globalização- disseminação das modernas comunicações e tecnologias , multiculturalismo, relações econômicas, sociais e políticas criando interdependência, entre as mais diferentes regiões do planeta – para combater suas conseqüências destrutivas : aumento da pobreza e exclusão, violações dos direitos humanos, crescente individualismo, guerras e violências , poluição, exaustão dos recursos naturais, efeito estufa.

Essas consequências negativas da globalização derivam do modelo de desenvolvimento dominante a nível planetário, baseado na competição e no consumo desenfreados, onde o desejo de lucro se sobrepõe aos valores humanos e as leis do mercado predominam sobre as do bem estar social. Uma Educação para a Sustentabilidade possibilita ,a crianças e jovens , pensar criticamente o modelo atual, usando as lentes dos oito conceitos da Dimensão Global. Podem, assim , compreender que suas ações locais, cooperativas e solidárias, ajudam a criar um futuro onde a pobreza, ao preconceito, a guerra, a destruição ambiental sejam superados.

Uma Educação Global para a Sustentabilidade propicia a aprendizagem de conhecimentos, habilidades, valores e atitudes, para que as crianças e jovens possam usar o que aprendem para intervir na realidade e transformá-la :

· Conhecimentos: conceitos e conteúdos da programação normal, enriquecidos por informações sobre processo de globalização, desenvolvimento da sociedade planetária, princípios e acordos globais, pontos comuns e diferenças entre culturas e conceitos que expressam a dimensão global/planetária como os de Justiça social, Cultura de Paz/Resolução de Conflitos, Sustentabilidade, Interdependência ( Economia Solidária, Comércio Justo) , Diversidade e outros.

· Habilidades: Pensamento crítico, perspectiva múltipla (saber olhar a mesma situação sobre diferentes pontos de vista); reconhecimento de estereótipos e preconceitos; empatia para com os que pertencem a diferentes grupos, culturas e nações; diálogo, assertividade (afirmar-se sem ser agressivo), compreensão da complexidade, das contradições e da incerteza; manejo e transformação de conflitos.

· Valores e atitudes: autoestima, autoconfiança, autorrespeito e respeito pelos outros; Responsabilidade social; Responsabilidade ambiental; Mente aberta; Atitude Visionária; Pertencimento comunitário participativo e proativo.

2 – DIMENSÃO GLOBAL NO CURRÍCULO DAS ESCOLAS BRASILEIRAS

A Lei 9394/96 ,de Diretrizes e bases da Educação Nacional coloca, como um dos princípios da educação brasileira , “ a liberdade e os ideais da solidariedade humana”, com isso abrindo-se a uma dimensão global/planetária. Os Parâmetros Curriculares Nacionais confirmam essa tendência ao sugerir que cabe à educação escolar possibilitar aos alunos “construir instrumentos de compreensão da realidade e de participação em relações sociais, políticas e culturais diversificadas e cada vez mais amplas , condições essas fundamentais para o exercício da cidadania e de uma sociedade democrática e não excludente’ (PCN, Introdução, pg 45). O objetivo de construir uma cidadania que transcenda a dimensão local também está implícito na proposição de que a escola busque a “valorização da cultura da sua própria comunidade , e , ao mesmo tempo busque ultrapassar os seus limites “ ( idem, pg 46) .

A maioria dos conceitos que podem expressar a Dimensão Global ( Direitos Humanos, Justiça Social, Diversidade, Resolução de Conflitos, Sustentabilidade, Interdependência , Cidadania Global, Valores e Atitudes) podem ser identificados no Currículo das escolas brasileiras enquanto Temas Transversais . Temas Transversais são definidos, nos PCNs, como uma forma de inserir problemáticas sociais “de abrangência nacional e até mesmo de caráter universal” no Currículo . Quando esses temas permeiam a concepção, objetivos , conteúdos e orientações didáticas de cada área e disciplina do Currículo , podem garantir a coerência entre as mais diversas experiências de aprendizagem, todas norteadas pelos mesmos valores . Assim, o tema Transversal Ética está ligado aos conceitos de Justiça Social , Direitos Humanos e Resolução de Conflitos ; o Tema Transversal Meio Ambiente , relaciona-se aos conceitos de Sustentabilidade e Interdependência ; os temas transversais Pluralidade Cultural e Orientação Sexual relacionam-se aos conceito de Diversidade . O conceito Valores e Percepções está incluído em todos os demais. Então, o único conceito que , nos Parâmetros Curriculares Nacionais , ainda não está explicitamente vinculado aos temas transversais , é o de Cidadania Global – que implica a capacidade de considerar o contexto global e sua ligação com o local; o papel dos governos, ONGs, empresas e grupos de pressão nas decisões que afetam o planeta, a consciência de que o mundo é uma comunidade planetária da qual todos os humanos deveriam participar em igualdade de condições.

A insuficiente ênfase à ideia de Cidadania Global no Currículo Brasileiro faz com que os conceitos de Justiça Social, Direitos Humanos, Diversidade e outros sejam tratados nas escolas considerando-se a apenas a realidade comunitária e nacional . Eles raramente são percebidos como expressões da Dimensão Global que une a todos no planeta , independente da nacionalidade ou crença.

O Instituto Paulo Freire já vem disseminando e desenvolvendo os conceitos de Educação para a Cidadania Planetária, Ecopedagogia e Educação para a Sustentabilidade há mais de uma década, influenciando assim a prática de escolas públicas em municípios como S. Paulo e Osasco, dentre outros, onde Projetos Eco Político pedagógicos são construídos coletivamente. Mas ainda há muito a ser feito.

No momento em que o Brasil assume uma posição de liderança no cenário internacional; em que os meios de comunicação de massa colocam as crianças e jovens em contato imediato com eventos culturais, artísticos, políticos e ambientais do mundo inteiro; em que estamos às vésperas de sediar eventos globais como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, é urgente inserir no currículo, com mais força e nitidez , a Dimensão Global /Planetária.

PROJETO CURRÍCULO GLOBAL – APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS

O Projeto Currículo Global para a Sustentabilidade – PCG/S é apoiado pela União Européia e desenvolvido por cinco ONGs de notória competência educacional, na Áustria (Sudwind) , Benin (Nego-Com) , Brasil (CECIP) , Reino Unido (Leeds DEC) e República Checa (Arpok) , em parceria com Autoridades Educacionais nacionais ,estaduais e municipais . Ele envolve, entre 2010 e 2012, professores interessados de 40 escolas de Ensino Fundamental nos países acima,onde o tema da Sustentabilidade já está incorporado aos Projetos Político Pedagógicos . Esses professores irão embutir nas aulas, sem fugir à programação oficial, a Dimensão Global e seus oito conceitos, fortalecendo uma Educação para a Sustentabilidade e para a Cidadania Global.

O primeiro passo é uma revisão da programação curricular de cada disciplina pelos professores , verificando onde a Dimensão Global já está presente e onde pode ser inserida, por meio dos 8 conceitos que a expressam. A partir daí os professores vão elaborar Planos de Aula ou Sequencias didáticas, e efetivamente implementá-los , em diferentes disciplinas do ensino fundamental . Registrados no site do projeto (www. globalcurriculum.net, em construção) os planos, acompanhados de materiais base, irão compor o Manual do Currículo Global, à disposição todos os interessados.

No Projeto Currículo Global para a Sustentabilidade , o desafio é criar Planos de Aula, Sequencias Didáticas e Projetos interdisciplinares , onde os temas que já eram trabalhados rotineiramente, relativos ao Meio Ambiente, à Diversidade ou à Justiça Social , com foco apenas na realidade local ( escola, bairro, cidade, país) ganhem uma dimensão planetária, ao serem conectados á realidade global.

Em plena Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014), quase na reta final do período de acompanhamento e cobrança pela realização dos ODMs (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) que se encerra em 2015, educadores da Europa, América do Sul e África mostrarão como um currículo significativo pode contribuir para que os estudantes e comunidade desenvolvam atitudes e práticas cidadãs, ecorresponsáveis, com impacto na melhoria da qualidade de vida, na comunidade , na cidade. E no mundo.

***

Um dos aspectos mais instigantes do Projeto CG/S é a proposta de trabalho conjunto e diálogo horizontal entre países , escolas e profissionais da Educação muito diferentes. Essa vivência do conceito de Diversidade a nível global , possibilitando a superação de estereótipos, a transformação de conflitos e a cooperação , anuncia o futuro que desejamos para o planeta.

Cinco países e 40 escolas em 3 continentes

O Projeto Currículo Global para a Sustentabilidade propõe o diálogo profissional entre representantes de países que já foram grandes impérios coloniais, e já foram colônias; países que já se beneficiaram do trabalho escravo e que já forneceram escravos; cuja renda per capita oscila entre 37 mil e 540 dólares e os índices de mortalidade infantil , entre 4 por mil nascidos vivos e 98 por mil nascidos vivos. Países onde, internamente, a diferença entre ricos e pobres é discreta ou imensa .

Além da diversidade entre países e entre os sistemas educacionais nacionais, há diferenças internas, em cada pais, entre as escolas que compõem o Projeto. No Brasil, por exemplo temos, dentre as 5 escolas , particulares e públicas; pequenas , com menos de 200 alunos e grandes, com mais de 1.600 alunos. No Benin , além de escolas públicas e particulares , há escolas leigas e confessionais ( católicas e protestantes) . No Reino Unido há escolas com foco na profissionalização e outras no ensino de línguas, mais ou menos acadêmicas.

Essas diferenças e contrastes não determinam uma relação assimétrica no Projeto Currículo Global, mas são fonte de mútuo enriquecimento , por meio da prática do diálogo horizontal, onde todos tem algo a ensinar e todos tem algo a aprender um com o outro.

About these ads
Esse post foi publicado em Ciência, Educação, Escolas, Geral, Notícias, Política e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para PROJETO CURRÍCULO GLOBAL PARA A SUSTENTABILIDADE

  1. Pingback: Tweets that mention PROJETO CURRÍCULO GLOBAL PARA A SUSTENTABILIDADE « Mundo de Oz -- Topsy.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s