Psicologia: Momento, Aha!

O Momento Aha! (Aha! Moment), é um nome descontraído para a solução de um problema por Insight. É sobre isso que vou discorrer neste post, me baseando principalmente num trabalho publicado por John Kounios and Mark Beeman da Universidade de Drexel e Northwestern, respectivamente, o artigo destes autores está disponível para ser baixado neste site na página Share e possui o mesmo título do post.

Quando você, leitor, está resolvendo um problema (lembre-se que quando falo de resolver problemas aqui não falo só de matemática ou física, de fato, pode ser, que marca de produto comprar no supermercado, que forma literária usar para escrever um texto ou ATÉ um problema de matemática), e não consegue por um tempo encontrar a solução e de um estalo ela surge em sua cabeça, podemos perceber que essa solução não veio pela interpretação anterior que você estava tendo do problema, ela vem, então, de uma reinterpretação da situação, trás uma nova abordagem para o mesmo problema e consigo a solução. É como se as peças “caíssem” em seu lugar, se encaixassem numa compreensão súbita formando uma Gestalt.

Para quem leu meus posts anteriores sobre Resolução de Problemas (RP) vai perceber que esse tipo de solução difere muito, por exemplo, do efeito de Incubação, onde a maioria das pessoas chegava à resposta após um intervalo. No Insight a pessoa que resolve se dá conta de uma maneira súbita que uma nova representação do problema lhe dá acesso a solução (Sternberg;Davidson, 1995 – Citados por Kounios, 2009). Neste trabalho o problema proposto para as pessoas durava em torno de 10 segundos ou menos.

Podemos encontrar o efeito de Insight na solução de um problema, na compreensão de um piada ou metáfora, numa pintura ou numa nova interpretação de uma situação qualquer, o ponto é que a solução é encontrada de súbito e sem que a pessoa, que estava tentando resolver o problema, saiba como aconteceu.

Os estudos desse tipo de RP são de longa data e basicamente e até pouco tempo tiveram um viés comportamentalistas (behavioristas). A proposta desta e outras novas investigações na área é de olhar para o problema pela óptica da neurociência cognitiva, usando imageamento por ressonâncias magnéticas.

Figura 1

A linha vermelha representa a atividade cerebral na região onde acontece o Insight (subtraída da linha azul que representa a atividade cerebral quando o problema é resolvido sem Insight), o “R” em amarelo é o momento em que a pessoa marcou que descobriu a resposta, ou seja, o tempo do Insight é da ordem de 300 milissegundos.

Até aqui parece que o Momento Aha!, é algo súbito e sem conexão com os pensamentos anteriores, estes estudos vem mostrar que o Insight é produto de uma acumulação de estados cerebrais em diferentes escalas de tempo. Na figura 2, em outro gráfico de uma pessoa resolvendo um problema por Insight é possível perceber outra região do cérebro ativa antes do começar o processo descrito acima.

Figura 2

Uma conclusão importante que este estudo mostrou é que o efeito de Insight não acontece de repente num momento único, o que ocorre de fato (e que está mostrado na figura 2) é que existe uma preparação imediatamente anterior ao efeito Insight, neste momento outra região do cérebro fica ativa (linha lilás) num processo que dura em torno de um segundo. Em seguida essa região diminui sua intensidade e passa então a funcionar a região do Insight (linha verde), num processo ainda mais rápido de aproximadamente um terço de um segundo (300 milissegundos). Na figura alpha e gamma são emissões elétricas em regiões e frequências diferentes (com escala em microvolts), sendo a emissão gama de frequência maior (~ 40 Hz).

Por que estudar o Insight é importante?

Os autores do trabalho relatam algumas razões, nomeadamente, o contraste que traz da abordagem anterior que a solução de problema se tratava de um processo consciente, quando no Insight a solução é primeiro computada inconscientemente para depois emergir à consciência subitamente; trata-se de um processo de reinterpretação e reconstrução, sendo associado com outra importante área de estudos, a criatividade; por último, o estudo do Insight pode trazer resultados interessantes para as áreas de inovações, compreendendo o processo poderá ser possível facilitar o desenvolvimento de inovações.

Referências

John Kounios; Mark Beeman. The Aha! Moment – The Cognitive Neuroscience of Insight. Currente Directions in Psychological Science, 2009.

Material de aulas de Psicologia do Pensamento – Universidade do Porto.

Anúncios