A Necessidade Humana de Categorizar

A categorização é um importante dispositivo que os organismos possuem e que lhes ajuda a viver e conviver em sociedade.

A categorização é uma actividade cognitiva fundamental por meio da qual o ser humano organiza e representa seu conhecimento da realidade (PINTO, 2007). Acontece sempre que dois ou mais objectos, organismos ou acontecimentos diferentes são agrupados devido a uma certa semelhança ou proximidade.

Vamos começar com um exemplo, você encontra fulano na rua e o cumprimenta, logo em seguida encontra beltrano, ambos pessoas que você só conhece de vista, muito provavelmente você irá cumprimenta-los da mesma forma e de uma forma diferente que você cumprimenta um amigo próximo ou um familiar. Isso por que você categorizou esses sujeitos, numa categoria ainda mais fina do que “seres humanos”, já que nestas categorias seus amigos também se encaixam, sua categoria foi de acordo com uma convenção social que diz que devemos cumprimentar mesmos pessoas que conhecemos de vista. Obviamente essa categoria em nosso sistema cognitivo não tem um nome específico, como uma tag de um blog, mas está internamente definida e isso permite que não tenhamos dúvida ao ver um semi-estranho na rua e lhe acenar com a mão ao invés de lhe dar um abraço caloroso.

A categorização é contrastada pela individualização, por exemplo, cada cachorro é único, mas diante de um cão pela primeira vez normalmente recorremos a sua raça ou sua categoria maior, cachorro. Provavelmente os biólogos terão muita facilidade com esse conceito, os Reinos, Filos, Gêneros, etc, nada mais são que categorias.

Tudo bem, somos capazes de classificar de um tudo, desde de outros humanos, passando por automóveis, cores até chegar em emoções. Mas será que nós categorizamos desde sempre? Desde que nascemos?

A resposta é, Não. Mas só nos primeiros meses de vida é que não categorizamos e nossa capacidade de discriminação é absurdamente alta. Se você está lendo este texto é por que já não tem mais essa capacidade. Nós (adultos, adolescentes, crianças com mais de um ano) se olharmos para um grupo de esquilos, por exemplo, não vamos conseguir distinguir mais que um ou dois indivíduos depois de algum tempo. Essa é a capacidade de discriminação que os recém-nascidos possuem, eles podem distinguir um a um os indivíduos de um grupo de esquilos (ou qualquer outra coisas que nós usamos categorias) mas principalmente existe uma preferência por faces e pelas faces humanas, o que facilita a identificação segura da mãe, por exemplo.

1 Ver ou não as individualidades?

Qual é a vantagem de se categorizar? Podemos pensar que a categorização facilita o ato de pensar, deixando o cérebro livre para funções superiores. Facilita o pensamento na medida que é muito mais fácil recorrer a uma categoria que um indivíduo diante de uma nova observação (por exemplo, normalmente recorremos a aproximadamente 12 cores e não às 16 milhões existentes).

Referências

PINTO, A., Psicologia Geral, Porto: 2007.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s