Concurso Público (e pequenas revoltas)

A secretaria de Educação do Estado de São Paulo está abrindo concurso para professores esse ano.

Além de dar as informações necessárias gostaria de colocar algumas palavras sobre esse assunto tão importante.

Eu vou participar deste concurso e pode parecer estranho fazer propaganda para possíveis concorrentes, mas na área de física e ciências, minha área, mesmo se todos os 1000 e tantos leitores deste blog até o momento se inscrevessem e fossem aprovados não seria suficiente para preencher as vagas que temos nessa cadeira (e na de matemática também). Falta professor, é uma das poucas áreas no Brasil que existem mais vagas que profissionais.

Associando isso ao texto de ontem (A Educação (e falta dela)) sobre a desvalorização do professor e os problemas na educação, precisamos ver nessa oportunidade mais do que “um emprego”, isso é uma oportunidade de mudar realidades, as realidades dos alunos e sua própria realidade, por que muitos professores que entram em contato com a sala de aula (aquela que pode conter o mundo dentro de si) sofrem uma grande transformação interna. Isso não acontece com todos e um fator que leva a isso é a preparação, os conhecimentos e experiências prévias, a formação do professor.

Isso nos remete a outro problema, ter na sala de aula pessoas que não possuem formação apropriada (não estou falando de formação deficiente, que é outro problema), como engenheiros lecionando física, advogados (acreditem isso já aconteceu) lecionando física ou matemática, etc. Hoje é muito mais difícil isso acontecer, títulos de licenciado são exigidos, mas muitos já estão lá.

A minha revolta com esse tema vem do simples fato de que eu não saio do meu lugar para entrar num hospital e consultar um paciente, um pedagogo não se forma e vai para um tribunal defender um réu, nem pode tirar o CREA, eu nem entro na padaria do “seu Manel” para dizer como ele deve fazer o pão! Por que RAIOS todos acham que podem meter o bedelho em educação. Esse problema atravessa todos os níveis, da formação básica até a formação superior, inclusive na pesquisa. Será que a educação é tão menos importante ou tão mais fácil que todos podem dar o seu pitaco? Dar seu palpite? Afinal ela não cuida do futuro das pessoas como o direito ou a medicina? Lembrando que sem a educação (professores) não haveria nenhuma dessas profissões. A máxima valida neste caso é: “Cada macaco no seu galho”.

Isso gera professores que não são de fato comprometidos com a educação nem com a formação de competências e habilidades características daquela área, acabam passando para os alunos que física é resolução de problemas ridículos e sem sentido de “ΔS/Δt“, como muitos alunos dizem por aí: Física é Formula!O mal que isso traz para a educação é imenso. Se as pessoas se revoltassem com isso como se revoltam depois de uma enchente que destrói sua casa (para mim o efeito é o mesmo), talvez tivéssemos alguma mudança mais rápida.

A transformação na péssima situação educacional brasileira, pede solução para esse problema, entre outros.

Abaixo o link para o edital do concurso aberto pelo estado.

http://www.concursosfcc.com.br/concursos/sedsp209/index.html

Anúncios

8 comentários

    1. Moça: o ser Professor requer CONHECIMENTOS!
      O Mistério da Educação, a Escola Pública não é agência de Empregos para se ganhar uma grana enquanto não se arranja melhor. Ser Professor exige dedicação exclusiva e mais de 10 horas por dia numa escola. Travbalhar com jovens dos 3 anos até ao fim do ensino médio é de uma extrema exigência por isso o meu país está entre os 3 primeiros que têm a melhor formação de Professores para ensinar moleques. Por isso há quem venha do teu país aqui fazer cadeiras do curso para se ser Professor…
      O professor é a pedra base de um país. E se não te conseguiram ensinar isto ao fim dos teus 4 ou 5 anos de universidade mal vai a Educação Pública em teu país.
      Um médico qd se engana, erra mata um doente, uma pessoa; quando um professor é mau, não tem formação de qualidade mata TODA uma geração.
      Não te esqueças que quem prepara os jovens para entrar numa universidade desde os 6 anos aos 17 (18 anos no meu país) somos nós, os professores de menores de 18 anos e de ensino obrigatório.

      Curtir

      1. O teu mail, com o qual te inscreveste no yahoogroup GRASDIC está a devolver as mensagens: osvaldo_usp@yahoo.com.br
        Foi-te enviado um convite para seres nosso relator/MODERADOR no Brasil e de acontecimentos científicos no hemisfério sul e não te temos visto ou sentido a tua presença lá no GRASDIC. Que se passa? Porque deixaste de falar com os portugueses que tão bem te receberam em Portugal qd aqui estiveste? Fizemos-te mal?
        Agradeço nos respondas o então dês novo endereço para te reenviarmos convite.
        Seria lamentável que quem quer dedicar-se ao ensino de Física e Química e Matemática aos jovens dos 12 aos 17 anos deixasse de dar apoio á nossa lista.
        Que se passa? Nem uma vez por mês podes escrever? Se nem tens filhos ainda…Espero por resposta tua.
        Mando-te o endereço do GRASDIC
        RESPONDE se é que ainda és nosso amigo.

        Curtir

  1. Prezado Osvaldo:
    Gostei muito do blog. Acho que o primeiro deveria estabelecer a diferencia entre docente e professor, não sei se em portugués existe essa diferença. Algo assim como o médico e o doutor. Medico pode ser até o bruxo ou o chaman de uma tribo, mais doutor é aquele que tem o título. O mesmo acontece com a profissão docente, ha docentes e professores uns tem título e outros não.
    Mas a maioria das vezes nem todos os professores tem espíritu docente, assim como todos os doutores tem espíritu médico. Em espanhol ha uma dica que diz: “O que “nantura” não dá, Salamanca não empresta” o que significa que quem não tem essa questao no espíritu nem a melhor universidade poderá dar para ele.
    A profissão docente é algo que a gente deve abraçar e gostar se só é um jeito de obter dinheiro (?) não adianta ter formação, pós e doutorado. Mas o grande problema da educação não é só o ensino, é a educação mesmo, aquela que surge como necesidade da sociedade por acima dos beneficios individuais.
    Algo que está ainda muito longe em estes momentos. As vezes eu, como extrangeiro me pergunto: “Onde estão aqueles inteletuales brasileiros da educação? que foi deles? Onde estão agora aqueles brasileiros lutadores pela justícia social que eu tanto admirava quando ainda era novo?”
    Se bem o ensino é importante a educação deve ser o alvo primario de uma nação. E isso é uma grande falta em Brasil, pois mesmo pessoas com grado académico sofrem de uma falta total de educação.
    Acho também que ha um grande problema no brasil que vai ligado ao ensino, esse problema é que a ignoráncia é um grande negócio. Quando uma pessoa ignora os fatos que levam a um sucesso ou quando é ingoranto dos porqués ela pode ser enganada e roubada. Ou pior, você pode criar medo e o medo é uma ferramenta maravilhora de dominio de massas, isso é sabido muito bem pelos déspotas e os ditadores.
    Quando não se conheciam nada sobre a eletricidade, as pessoas achavam que era causado por deuses, e sempre surgia algúm déspota que dizendo falar em nome dos deuses achava o jeito de se provalecer do trabalho das pessoas ignorantes (sim ignorantes!a maioria das vezes tal vez honestas mas mesmo assim ignorantes).
    Claro que o primeiro que atacam os déspotas é o sistema de ensino e em particular o ensino de ciência. Aquela frase de o saber é poder, é certo mesmo, mas é mais certo que a ignoráncia é o aminho certo para a esclavidão.
    Bom acho que a gente deve se encotrar para beber e bater papo na sua volta
    Abraco

    Curtir

  2. A Educação, o Ministério da Educação ou como chamais por aí, não é uma Agência de Emprego.
    Nem todos podem ser professores! Há um erro crasso qd se diz coisas como: “com a crise de desemprego que há o concurso para professores…etc e tal”
    Não estárá mal no vosso país o modo como se acede á Carreira de Professor de moleques dos 10 aos 17/18 anos? Não será que vossas universidades públicas não têm Cursos de duração de 5 anos para Ensino de…e com estágio anual com 3 a 4 orientadores de estágio da Universidade onde aluno fez os 4 primeiros anos? Será que qualquer um mesmo que tenha apenas um 2º ano ou 3º ano de universidade pode ser PROFESSOR?
    Eu creio que nem na USP existe o tal curso para Ensino de Física/Química com duração de 5 anos com o tal estágio anual final de 5º anos e após aluno ter feito os tais 3 anos sobre as matérias como matemática, física e Química e depois o 4º ano da área Educacional…Olhai que o que está mal é o Lula não ter força, não se ralar com a Formação do povo, com as crianças dos 3 aos 17 anos de idade. Isso é que está mal: o desprezo que TODA a comunidade de doutores, os tais pedabobos, os “eduquês” os teóricos da educação dão ao Currículo Nacional de Educação! Eles querem lá saber do que se passa nas escolas públicas e nos “cursecos” de vestibuklar que chupam grana aos jovens de 17 anos que acabam o ensino médio nada sabendo de Física, Química, Matemática, Filosofia… Está tudo altamente comprometido com o comer á mesa do poder que nem vê o estado da cultura geral dos moleques de 15 anos brasileiros…Por isso os moleques brasileiros das escolas públicas não são vistos nas Olimpíadas Internacionais de F, ou de Q ou de Mat, ou de Astronomia, ou de Ambiente…
    Que esperais, pedagogos que NUNCA deste aulas a moleques dos 10 aos 15 anos em escolas públicas por mais de 10 anos? Que sabeis da Formação de Professores no Brasil!?
    Dormis?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s