Escolas pautadas pela exclusão

A imensa maioria das escolas tradicionais é pautada pela exclusão. Ela exclui tudo aquilo que foge de seus propósitos de excelência. Neste processo de exclusão estão muitos alunos que não se enquadram em seus esquemas.

A escola organizada sob a lógica da exclusão é seletiva e sustenta sua almejada excelência, ou objetivos curriculares eliminando tudo que contraria seus propósitos (MACEDO, 2005). Neste tipo de escola as competências de ensinar do professor estão dissociadas das competências de aprender do aluno, não existe o termo ensino-aprendizagem. As palavras e as práticas destas realidades estão separadas e por consequência disto quando um professor ensina não necessariamente o aluno aprende.

Isso me lembra uma anedota de um professor que dizia:

– Eu ensinei meu cachorro a falar!

– Nossa! Que fantástico. E ele aprendeu?

– Não. Mas o problema é dele. Eu ENSINEI meu cachorro a falar!

Isto que acontece em muitas escolas. O professor ensina. Se o aluno ou aluna aprende ou não é problema dele ou dela, não do professor. Esta é a pauta da exclusão. No processo de ensino-aprendizagem de uma escola não excludente ambos (educador e educando) estão envolvidos no processo a falha de um é a falha do outro, o sucesso de um é o sucesso do outro. Estranhamente nas escolas tradicionais vejo muitos professores se vangloriando de alunos que tiram dez! (pq estes são responsabilidades do professor e aqueles que tiram zero não são?)

Outro problema que surge nas escolas pautadas pela exclusão é a dissociação do ensino e da aprendizagem com a avaliação. Nem sempre aquilo que é ensinado ou aquilo que é aprendido está no processo de avaliação. Sendo assim o fracasso escolar pode acontecer por uma ineficiência avaliativa e não necessariamente uma falta de aprendizado. A avaliação contínua é uma tentativa de minimizar este problema, a avaliação planejada no mesmo momento da aula é outra e a avaliação combinada com os próprios educandos também pode ajudar a minimizar o estrago que pode causar uma avaliação mal feita.


Referência:

MACEDO, Lino. Ensaios Pedagógicos: como construir uma escola para todos. São Paulo: Artmed, 2005

Anúncios

1 comentário

  1. Ensinar é muito complexo ,pois envolve uma serie de questões….
    Recordo me de uma frase bastante peculiar a sua frase .
    o menino diz: ensinei ao meu cachorro a falar.
    o outro menino fala: legalll, mais eu não escutei ele falar
    o menino retruca : eu disse que ensinei ,não falei que ele aprendeu !

    JARLEIDE /MOSSORO-RN

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s