Reitor da USP é convocado para audiência na Assembleia Legislativa, mas não comparece

(Foi postado a um ano no Mundo de Oz. Depois disso esse mesmo reitor expulsou 8 estudantes e mandou prender 84, por se manifestarem politicamente. Fechou espaços estudantis. Usou e abusou do poder. Quando vamos acordar de verdade? Oz – 24/03/2012)

Por Raiana Ribeiro do Portal Aprendiz

Em Audiência Pública na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), cerca de 300 estudantes, professores e funcionários da Universidade de São Paulo (USP) se reuniram para debater com o reitor João Grandino Rodas as últimas medidas anunciadas para a instituição. Ausente, Rodas enviou como representante o professor e coordenador de Relações Institucionais, Wanderley Messias da Costa.

Dentre os principais assuntos abordados durante a Audiência estiveram a proposta de fechamento de 330 vagas na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) – incluindo todo o curso de Obstetrícia –, a demissão de 270 funcionários aposentados, a transferência de setores da reitoria para outros locais de São Paulo (SP), o gasto milionário em novas edificações na Cidade Universitária e o processo administrativo contra 24 estudantes.

Segundo Pedro Muller, estudante do curso de Direito, a expectativa era de que o reitor esclarecesse “as medidas autoritárias e privatizantes da universidade”, o que não aconteceu, pois o representante da reitoria deixou a Audiência antes de se pronunciar. Após ser ofendido por manifestantes, Wanderley se levantou e abandonou o debate. O professor precisou de escolta policial para sair do prédio.

“O nosso objetivo é ‘rodar’ o Rodas”

Entre os presentes que compuseram a mesa de debates, estavam o presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp), João Zanetic; o professor emérito Francisco de Oliveira; o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), Magno Carvalho; o diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Thiago Aguiar; e deputados do PT e do PSOL.

“Nosso objetivo é ‘rodar’ o Rodas”, afirmou o professor Francisco de Oliveira em alusão a derrubada do reitor. O docente falou sobre o processo eleitoral que levou Rodas ao comando da USP, ressaltando que a escolha feita pelo então governador do estado, José Serra, não respeitou a ordem da lista tríplice, já que Rodas ocupava o segundo lugar. “Isso só foi feito antes durante a ditadura”.

A Audiência durou cerca de quatro horas. O deputado estadual Carlos Giannazi, responsável por convocar o reitor afirmou que, em breve, João Grandino Rodas será chamado para prestar esclarecimentos na Comissão de Educação da Alesp. Nessa instância, diferentemente da Audiência Pública, ele é obrigado a comparecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s