Na última assembleia do ano, estudantes decidem manter greve até 2012

Eu estava nesta assembleia, porém como estou sem tempo para escrever vou deixar aqui um texto do Jornal do Campus para que os interessados possam saber o que rolou.

por   e 

Os alunos da USP realizaram a última assembleia geral do ano, na quarta-feira, 30 de novembro. Cerca de 1500 estudantes, reunidos na Prainha da ECA, decidiram entrar o ano de 2012 em greve.

Apesar dos argumentos de que seria necessária uma nova assembleia na segunda semana de dezembro para manter o Movimento Estudantil ativo, os estudantes votaram por encerrar as assembleias e se concentrar agora na recepção aos calouros – até porque o público das assembleias tem sido cada vez menor. “Não adianta [fazer] assembleia com a USP vazia, temos que sair em greve e voltar com uma calourada forte” e “Uma assembleia vazia pode deliberar qualquer coisa” foram os argumentos usados na defesa dessa proposta.

Greve em 2012

O encaminhamento seguinte foi a definição de uma data para a primeira assembleia do ano que vem. Parte dos alunos defendia que os calouros já ingressassem na USP em greve e que a assembleia fosse realizada na semana imediatamente após a da Calourada. “Que os calouros entrem na nossa greve. Se decidirmos manter a luta, que eles entrem na luta” e “A Calourada não pode acontecer em situação de normalidade”, disseram os alunos a favor da proposta. Por outro lado, alguns estudantes defenderam que a assembleia só poderia acontecer duas semanas depois da recepção dos calouros, para que eles tivessem tempo de discutir a greve em seus cursos. “Não podemos decidir, em assembleias reduzidas, pela massa que vai entrar em 2012. Temos que conversar com eles”, argumentaram.

Os alunos decidiram que a assembleia não poderia esperar, e ela foi marcada para a quinta-feira subsequente à semana da Calourada, dia 8 de março, porque “o momento de discussão é a própria semana da Calourada” e a greve não seria “imposta, mas tentaria trazer mais gente para o movimento estudantil”.

Estudantes decidem começar 2012 em greve; a próxima assembleia está marcada para março do ano que vem e já contará com a participação dos calouros (foto: Isadora Bertolini Labrada)Estudantes decidem começar 2012 em greve; a próxima assembleia está marcada para março do ano que vem e contará com a participação dos calouros (foto: Isadora Bertolini Labrada)

Para Ricardo Stanzani, aluno do 7º ano de Arquitetura, a assembleia foi “promissora pelas [definições de] datas para o ano que vem”. “A Assembleia está lotada pra dezembro. Começar o ano em greve também é inédito. É um avanço”, disse Lucas Cacciaguerra, aluno do 3º ano de Física.

Paulo Henrique Bahia, membro do Caell da Letras, disse que o debate não diminuiu nos cursos, mas é natural que a  assembleia tenha menos público porque os estudantes estão entrando em férias. “O principal aqui é garantir que realizemos de forma saudável a Calourada, essa vai ser a votação mais polêmica. É um problema porque são 21h50 e não discutimos isso ainda”.

Calourada

O plenário decidiu que a Calourada não  seria batizada como “educação não é caso de polícia”, mas que teria os cinco eixos da greve como lema. A opção de não adotar os eixos como lema não foi colocada em questão.

Depois, os estudantes voltaram à discussão sobre qual entidade assumiria a organização da semana de recepção. Na Assembleia Geral da Poli, realizada na semana passada, após uma votação polêmica que  foi refeita várias vezes, ficou decidido que o Comando de Greve organizaria a Calourada Unificada, tarefa que geralmente cabe ao DCE.

Na quarta-feira, porém, a mesa recebeu novas propostas sobre a Calourada. Depois de certa confusão entre manter o que já havia sido decidido na Poli ou encaminhar essas novas sugestões, chegou-se a uma votação entre uma Calourada organizada pelo Comando em conjunto com CAs e DCE ou organização do Comando com a participação de um representante de cada CA de cursos que não têm delegados de greve.

Cerca de 1500 estudantes se reuniram na Prainha da ECA; o clima da última assembleia do ano foi tenso, com votações polêmicas e acirradas (foto: Isadora Bertolini Labrada)Cerca de 1500 estudantes se reuniram na Prainha da ECA; o clima da última assembleia do ano foi tenso, com votações polêmicas e acirradas (foto: Isadora Bertolini Labrada)

A mesa não viu contraste na votação das duas propostas e o plenário teve que se reposicionar: favoráveis à primeira proposta de um lado e favoráveis à segunda do outro. O clima da deliberação foi tenso, com ambos os lados gritando palavras de ordem. Mesmo com a assembleia dividida, a votação foi refeita e saiu vitoriosa a proposta de que o Comando de Greve organizará a Calourada com a colaboração de um representante de cursos sem delegados.

 Teto esgotado

O teto de 23h, que havia sido estabelecido no início da assembleia, foi atingido. Porém, faltavam deliberações referentes ao Comando de Greve e ao calendário. Como o plenário votou por não estender o teto, a assembleia foi encerrada e a decidiu-se que as reuniões do Comando definiram o calendário. A próxima reunião do Comado será sexta-feira, dia 02 de dezembro, às 18h, na sala 801 da FAU.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s